Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Para Pensar e Comentar.

 

Todos aqueles que me visitam já devem ter lido algumas vezes nos meus posts uma das frases que muitas vezes profiro: as relações humanas são muito complicadas.

E são-no, efectivamente. Cada vez mais constato isso.

 

Depois de uma conversa sobre vários tipos de relacionamentos, ficaram a bailar-me algumas coisas na cabeça.

 

É certo que ninguém tem a fórmula certa para um relacionamento perfeito – e até que ponto um relacionamento perfeito, não seria terrivelmente aborrecido? – mas existem atitudes e comportamentos que podem levar um relacionamento a bom porto.

 

E o busílis da questão é o seguinte:

Num relacionamento, deve viver-se apenas um para o outro?

(Ter apenas olhos um para o outro, colocando amigos e família num plano muito afastado? Basear a relação em “eu sou tua e tu és meu” e não nos interessa e nem precisamos do resto do mundo?)

 

Num relacionamento, deve cada um viver a sua vida, vivendo uma vida conjunta?

(Cada um tem liberdade para fazer o que quiser, respeitando o relacionamento mas não se fechando dentro dele, mas caminhando os dois lado a lado para um futuro conjunto?)

 

Vamos lá a puxar pelos neurónios e a partilhar comigo qual é a vossa opinião sobre este assunto.

 

 

Um Dia Especial...

Hoje foi um dia especial. Fiz mais um ano de namoro. Completei aquele número cuja simbologia é tão fascinante. Simbolicamente é o número da vida, da renovação, da perfeição. Já adivinharam qual é?

 

E é isto mesmo que tem vindo a acontecer na minha vida: uma tentativa de renovação para atingir a perfeição do que já existe. E tentar melhorar sempre o que já se tem para se passar à etapa seguinte. Afinal a vida é feita de ciclos que se completam para suceder a outros. Faz parte da evolução da vida e do ser humano.

 

Já havia algum tempo que este dia tão especial, estava relegado para segundo plano. Umas vezes por ausência, outras por desleixo e outras ainda por situações imperativas. Mas hoje foi diferente.

 

Comemorámo-lo a três e à nossa maneira. Até tive direito a uma tratamento de pés especial. Para terminar, fomos jantar fora. Fomos experimentar um local diferente e que não conhecíamos. Não nos esticamos na bebida, comemos bebida saudável e não houve doces para ninguém… à excepção de uns chocolatinhos que tínhamos aqui em casa, pronto, admito! E uns beijinhos… bolas! Não se pode omitir nada…

 

(Agora só pra ti N.: Esperemos que estes teus beijinhos se prolonguem por muitos anos, nino adoradinho! I U)

 

Carta de Amor

 

Com o simples toque dos teus lábios, conquistaste o meu coração.

 

Conheci-te num dia de verão abrasador.

Os teus olhos encontraram os meus e a partir desse momento fui tua.

Duas almas gémeas que se encontraram pela primeira vez e logo se reconheceram.

As nossas mãos entrelaçaram os dedos.

Os meus lábios, sedentos dos teus, tocaram-te.

Saboreei-te como se fosses néctar dos deuses.

Foi um momento mágico que ditou o resto dos nossos dias.

Amei-te ali para sempre.

Vivemos dias de sonho e noites de paixão.

E percebemos que os nossos corações se completavam.

 

És o meu melhor amigo.

Estás sempre ao meu lado, quer nas alegrias, quer nas tristezas.

Limpas-me as lágrimas e ofereces-me palavras de conforto.

És o meu amor, o meu amado, aquele que quero junto a mim.

Transmites-me a paz e a tranquilidade que preciso.

Admiras os meus defeitos e virtudes.

O teu sorriso dá-me a confiança para seguir em frente e sonhar.

Preciso da atenção que me dedicas como do ar que respiro.

 

A minha vida é o meu amor.

E o meu amor és tu.

Adoro-te, N.!

 

Momentos

 

Andei novamente a mexer em fotos.

Revi as minhas primeiras fotos com o N. .

Dos primeiros tempos de namoro, naquela fase cor-de-rosa ainda.

A fase de loucura, do conhecer o outro, respirar o outro.

Como nós éramos diferentes!!!

Revi passeios e sítios visitados, jantares com amigos…

Lembrei-me de conversas e momentos felizes.

Estão gravados naquelas fotos.

Gravados num momento no tempo, para sempre.

Basta um folhear de fotos para voltar a nostalgia.

Para soltar suspiros de amor.

Para sentir a felicidade daqueles momentos.

Para sentir o abraço e os lábios do N. como se fosse a primeira vez.

E assim ficámos presos um ao outro: tu a mim e eu a ti.

Até à eternidade!

 

Conversas sobre namorados...

 

- Também podes comprar o passe...

- Só vou comprar o passe quando tiver namorado... e é se ele morar longe!

- Mas tu já tens namorado!

- Não tenho nada!

- O Pedro está sempre a oferecer-te prendas!

- Só posso ter namorado quando tiver 19 anos... não, quando tiver 17 anos.

- Eu ainda não tenho namorado... tenho muito tempo...

Esta conversa foi passada com a I., uma menina lindíssima que apanha todos os dias o autocarro comigo, e uma prima dela que hoje a acompanhava.

Foi hilariante. Pareciam duas miúdas grandes. As pessoas iam todas embevecidas a olhar para elas e a achar imensa graça à sua conversa.

Elas estavam a falar muito seriamente uma com a outra. Imaginem lá a cena passada entre duas miúdas uma com 5 anos e a outra com 6...